Café gourmet ao gosto do brasileiro

Consumidores  requintados redescobriram o prazer de saborear um café de qualidade. O segmento gourmet cresce rapidamente e os consumidores aceitam pagar preços maiores por cafés diferenciados e exclusivos, nos supermercados.


Cafés que combinam perfeitamente com um charuto

Pode-se dizer que um bom café combina com qualquer charuto. A compatibilidade entre cafés e tabacos é quase absoluta. Dificilmente um bom charuto distoar com um café de qualidade. Pode haver casamentos mais ou menos felizes. Mas, em geral, eles se entendem muito bem. É raro chegarem às vias de fato...

Quem não aprecia bebidas alcoólicas encontra no café um formidável companheiro para charutadas. Um bom habano sabe melhor ainda após aquela xícara de puro arábica bem tirado. Um nacional idem. Nada como um café da Mogiana ou do Cerrado Mineiro para acompanhar a degustação de um Don Porfirio, Dannemann ou Caravelas.

Para atender inclusive à demanda dos apreciadores de charutos, cafeterias estão em ebulição no país, assim como os profissionais que preparam a bebida, promovendo seu consumo consciente. O trabalho de valorização do café, dentro e fora do país, está com todo o  vapor de um bom expresso, abrindo mercados e possibilidades para estabelecimentos varejistas, lojas especializadas, bares e restaurantes.

As principais redes do varejo supermercadista estão dando mais espaço aos cafés Gourmet. Assim como vem ocorrendo com tabacos, cervejas, vinhos e cachaças nobres, o café passou por uma revalorização na qual a qualidade é mais importante que a quantidade.  E os tipos diferenciados atendem à demanda por cafés arábica de primeira linha – aqueles que antes eram exportados em grão verde.

O que você bebe

A fruta do café é composta principalmente por água, carboidratos, gor­duras, proteínas, sais mi­­ne­rais e cafeína. Com a torrefa­ção e a moagem muitos desses nutrientes se per­dem ou são modificados.

Depois que o café é preparado na forma de bebida, os carboidratos, proteínas e boa parte das gor­­du­ras remanescentes ficam retidos na bor­ra (resíduo da fase de ex­tra­ção). Desse modo, o café é uma bebida de baixo teor calórico (cerca de 4 calorias por xícara pequena, não adoçada) e que praticamente não fornece nutrientes.

Mas o café contém cafeína, substância estimulante presente também no mate, no guaraná e em certos tipos de chá. Al­­gumas pessoas podem ter sensibilidade a ela. Em caso de dúvida, convém con­­sultar o médico e informá-lo sobre o teor de cafeína dos produtos. De posse des­ses da­­dos e conhecendo de perto o organismo da pessoa, ele saberá dar orientações seguras a res­pei­­to.

Para incentivar o consumo de cafés de qualidade a ABIC vai lançar ao público no dia 9 de maio de 2007, a 3ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil, que é uma série limitada, exclusiva e de altíssima qualidade. A Edição Especial traz um Selo de Identificação numerado e controlado pela ABIC.

No Dia Internacional do Café, 14 de abril, produtores brasileiros tiveram
motivos para comemorar o posicionamento que a bebida vem conquistando
no exterior. Em 2006 o Brasil consolidou seu posto de maior produtor e
exportador mundial de café, produto que mais uma vez contribuiu para o
resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio, que somou
cerca de R$534,8 bilhões. Segundo dados da Confederação da Agricultura
e Pecuária do Brasil (CNA), o valor bruto da produção de café foi de
R$10,4 bilhões no ano passado - 1,9% a mais que em 2005, ano que
faturou R$10,2 bilhões.

A bebida foi o quinto produto agrícola mais exportado no ano passado.
Das 44 milhões de sacas produzidas, 27,2 milhões foram exportadas para
um total de 73 países, gerando uma receita de US$3,3 bilhões. O café
responde por 2,5% do total da exportação brasileira.

O grande negócio do Brasil ainda é a exportação do café em grão verde.
Porém, já tem prestígio na venda de café solúvel e recentemente
iniciou a conquista de espaço também para o café torrado e moído, que
começou a ser exportado há apenas quatro anos, e rendeu US$26 milhões
em 2006.
 
Desde de 2002, o Programa Setorial Integrado de Exportação do Café
Industrializado (PSI), dá suporte pra empresas que pretendem partir
para o mercado externo. Realizado em parceria com a APEX (Agência de
Promoção de Exportações e Investimentos) e ABIC (Associação Brasileira
de Indústrias de Café), o projeto conta com 90 empresas para a
divulgação do café brasileiro no exterior, sendo que a maioria é de
Minas. Até o final de 2008 a estimativa é de que este número dobre.

Café sustentável

O Brasil será o primeiro país no mundo a fornecer no mercado
internacional café com a denominação "4C". Trata-se do Código Comum da
Comunidade Cafeeira que estabelece regras ambientais, econômicas e
sociais para produção de um café sustentável. A estimativa é que o
país exporte 500 mil sacas de café 4C vindas da safra 2007/08.

A projeção foi feita a partir do projeto-piloto realizado pelo
Instituto Totum no Brasil, entre dezembro de 2006 e março deste ano.
Foram visitadas 11 fazendas, responsáveis pela produção de cerca de 34
mil sacas no sul de Minas Gerais e São Paulo.

O resultado do projeto-piloto brasileiro será aos membros da Associação 4C. A entidade tem sede na Alemanha e foi criada pelos maiores importadores mundiais de café - como Nestlé, Sara Lee e Kraft Foods. Segundo Fernando Giachini Lopes, diretor do instituto, a meta é que 70% das importações mundiais sejam de café
sustentável.

Conexão Brasil-Japão

Não foram somente os brasileiros que aprenderam a apreciar as iguarias
japonesas. Nosso café faz sucesso na Terra do Sol Nascente. O Japão é
o quarto maior comprador de cafés do Brasil. Em 2006, o país comprou
2,3 milhões de sacas do café nacional, 27% do total desses grãos
importados por eles. Para este ano, a estimativa do Ministério da
Agricultura é ampliar essa participação para no mínimo 30%, o que
representará embarques entre 2,5 milhões e 3 milhões de sacas.

O país também está entre os 10 maiores importadores dos solúveis
brasileiros. "É também o 3º maior comprador de cafés industrializados,
torrado e moído, respondendo por 6% dos negócios fechados em 2006",
diz Christian Santiago, coordenador executivo do PSI - Programa
Setorial Integrado para exportação de café industrializado, gerido
pela ABIC em convênio com a APEX-Brasil.

A ABIC coordenou em parceria com a APEX, a participação do estande
Cafés Brasil, na Feira Foodex, que aconteceu este ano no Japão. Entre
as empresas expositoras estiveram: Café Turmalin, Café Bom Dia, Polly
Coffee, Café Tiradentes, Cocarive - Cooperativa dos Cafeicultores do
Vale do Rio Verde, de Carmo de Minas, e a Cooxupé - Cooperativa
Regional de Cafeicultores em Guaxupé, que é a maior do mundo na área
de café.

Novos mercados na Ásia

Os produtores de café do Brasil descobriram a Ásia. Torrefadoras e
cooperativas estão investindo cerca de US$2,5 milhões em cafeterias
naquele continente visando aumentar a exportação do grão e
comercializar produto de maior valor agregado. O mercado asiático tem
enorme potencial devido ao tamanho da população e ao forte consumo de
café expresso. Além disso, é um mercado novo no consumo, já que a
população começou a tomar a bebida apenas há cerca de 70 anos.

Café USA

Apesar da exportação do café torrado e moído ser recente, o Brasil já
conquistou prêmios e desbancou marcas tradicionais. É o caso do Café
Marques de Paiva, do Grupo Bom Dia. Há quatro gerações no cultivo de
café no sul de Minas Gerais, a família partiu para exportação do
gourmet. Em pesquisa realizada entre os consumidores daquele
país, em 2006, pela rede de televisão ABC, o Marques de Paiva foi
classificado como café ideal, pois une qualidade e baixo preço. Entre
os fortes candidados estavam a Starbucks e outras 60 marcas de
café concorrentes no varejo dos Estados Unidos.

Blend da chef

Flávia Quaresma, lançou um blend com sua assinatura, desenvolvido pelo Café Florença. A chef conta que o fato de não servir um café brasileiro em seu restaurante, o Carême Bistrô, sempre a incomodou, apesar de privilegiar cafés com cerca de 70% de grãos nacionais. "O restaurante é um lugar para mexer com as pessoas e, assim como iniciamos um movimento com os vinhos, achei importante
contribuir para a valorização do nosso café", explica.

Os grãos que formam o blend são de fazendas da Alta Mogiana, do Sul de
Minas e Cerrado mineiro e levou três meses de experimentação e
pesquisa para chegar ao resultado final com o aval de especialistas.
Este é o primeiro café especial do Brasil que recebe três
certificações de procedência e tem dois selos de qualidade da BSCA
(Associação Brasileira de Cafés Especiais) e um do Rainforest
Alliance, certificação que avalia fatores sociais e econômicos
relacionados à produção. "Tudo surgiu na época certa. Venho
acompanhando a mudança e o que me entristecia era que tínhamos bons
grãos, mas eram comercializados lá fora e quem ganha com isso são
países como Alemanha e Itália", conta a chef.

Animada por ter um café com seu nome e poder divulgar com mais força
um produto nacional, Flávia destaca que o momento do café é agora. "No
Leblon, por exemplo, há cinco anos não tinha cafeteria e hoje vemos
uma do lado da outra, o que valoriza o produto e incentiva o
consumidor a tomar um café de qualidade", afirma a chef, que avisa não
estar decretando o fim do cafezinho caseiro, mas que haja uma produção
honesta, com boa torrefação e moagem.

Nova cafeteria

Para lançar oficialmente no Brasil os cafés em cápsula para máquinas de café expresso da Nestlé,  na linha Nespresso, foi aberta a Boutique Nespresso, em São Paulo, à Rua Padre João Manoel, 1164, nos Jardins, telefone (11) 3064-9974. O período de funcionamento é de segunda-feira a sábado, das 10h00 às 20h00. Na Boutique Nespresso estão à venda as máquinas, cápsulas e acessórios.

 

Fontes: ABIC, Revista Espresso, Malagueta Comunicação, Mundo do Marketing

 

 
  Newsletter
Cadastre-se e receba nossas
novidades em seu email.
Nome:
Email:


 
     
  Charutos Personalizados
Comemore o nascimento de seu filho, casamento ou uma conquista de sua empresa com charutos personalizados.



 
     
   Telefones:  (11) 5096-2494 / 5041-1596
  © Copyright Charutos e Bebidas. Todos os direitos reservados.
  Qualquer reprodução deste material deverá ser feita com autorização.