Cachaça é música
Por Maurício Maia
Cachaça Da Samba

Das marchinhas de Ari Barroso ao hardcore da moçada da banda Mukeka Di Rato, passando pelo pancadão funk do Latino, a cachaça foi cantada em todas as épocas e estilos. Temas como o da Marvada Pinga, imortalizado na voz de Inezita Barroso, fazem parte da cultura popular e do folclore nacional.

A música e a cachaça sempre tiveram uma relação muito próxima. Assim como na literatura, onde a parceria produziu obras como Prelúdio da Cachaça de Luís da Câmara Cascudo, a música nos presenteou com composições que vão do samba ao rock'n'roll.

Adoniran Barbosa

Durante muitos anos a importação de bebidas alcoólicas foi proibida no país, então era natural que a boemia consumisse o que havia disponível no mercado. Como conseqüência da sofrível qualidade de whiskies e conhaques nacionais, a cachaça ganhou espaço, aparecendo como a melhor opção de destilado nacional. Ela era barata e fácil de encontrar, além de ser uma forma de afirmação da brasilidade, enaltecida por Mário de Andrade em seu artigo intitulado "Os Eufemismos da Cachaça", publicado inicialmente na revista Hoje em 1944, e depois transcrito pelo Correio Paulistano em 1950.

Apesar da diversidade de estilos, os sertanejos são os campeões na hora de declarar seu amor à moça branca. Músicas bem humoradas como Que Pescar Que Nada de Fábio Henrique e Kassiano - "...enchi o tanque do carro, já comprei cigarro e uma pinga boa..." - contam histórias comuns ao cotidiano do povo brasileiro. Dentre elas destaca-se Mulher, Patrão e Cachaça, do impagável Adoniran Barbosa, o Charutinho, que incorporou ao repertório de ditos populares seu refrão “mulher, patrão e cachaça em qualquer canto se acha”.

Iniciando com a já citada Inezita Barroso e a Marvada Pinga (que na verdade se chama Pinga Marvada – ver box abaixo), a relação da composições e artistas que cantaram nossa amada aguardente nos leva a uma pequena jornada etílica na música e por um pedaço da história de nosso cancioneiro popular.

Pinga Marvada
Autoria: Ochelsis Laureano e Raul Tonnes

Com a marvada pinga
É que eu me atrapaio
Eu entro na venda e já dou meu taio
Pego no copo e dali não saio
Ali memo eu bebo
Ali memo eu caio
Só pra carregar é que eu dô trabaio
Oi lá

Venho da cidade e ja venho cantando
Trago um garrafão que venho chupando
Venho pros caminho, venho tropicando,
xifrando os barranco, venho cambetiando
E no lugar que eu caio já fico roncando
Oi lá

O marido me disse, ele me falou:
"largue de beber, peço por favor"
Prosa de homem nunca dei valor
Bebo com o sol quente pra esfriar o calor
E bebo de noite é pra fazer suador
Cada vez que eu caio, caio diferente
Ameaço pra trás e caio pra frente,
caio devagar, caio de repente, vo de corrupio,
vo diretamente
Mas sendo de pinga, eu caio contente
Oi lá

Pego o garrafão e já balanceio
que é pra mode vê se tá mesmo cheio
Não bebo de vez porque acho feio
No primeiro golpe chego até o meio
No segundo trago é que eu desvazeio
Oi lá

Eu bebo da pinga porque gosto dela
Eu bebo da branca, bebo da amarela
Bebo nos copo, bebo na tijela
Bebo temperada com cravo e canela
Seja qualquer tempo, vai pinga na guela
Ê marvada pinga!

Eu fui numa festa no Rio Tietê
Eu lá fui chegando no amanhecer
Já me deram pinga pra mim beber
Eu bebi demais e fiquei mamada
Eu cai no chão e fiquei deitada
Ai eu fui pra casa de braço dado
Ai de braço dado, ai com dois soldados
Ai muito obrigado!

Outras composições:

- Cachaça Não é Água Não
Autoria: Mirabeau Pinheiro, L.de Castro e H.Lobato

- Cana-Caiana, Cana-Roxa, Cana Fita, Cana Preta, Amarela, Pernambuco...
Quero Vê Descê O Suco, Na Pancada Do Ganza
(Samba Enredo da Imperatriz Leopoldinense - Carnaval de 2001)
Autoria: Marquinho Lessa, Guga e Tuninho Professor

- Camisa Listrada
Autoria: Assis Valente
Gravações: Assis Valente, Carmem Miranda e Maria Bethânia

- Cátia Catchaça
Autoria: Latino

- Que Pescar Que Nada
Autoria: Fábio Henrique e Kassiano

- No Embalo Da Cachaça
Autoria: Rio Negro e Solimões

- Cachaça
Autoria: Mukeka Di Rato

- Cachaça
Autoria: Carlinhos Brown

- Cachaça
Autoria: Elymar Santos

- Mulher, Patrão e Cachaça
Autoria: Adoniran Barbosa

Ainda poderíamos citar outras composições e nem assim conseguir listar todas as vezes que a cachaça inspirou nossos compositores. De norte a sul, do samba ao rock, transitando por todas as regiões e influenciando todos os estilos, durante séculos a cachaça foi fonte de inspiração e consolidação da cultura nacional. Seja escrita, cantada ou bebida, a aguardente de cana-de-açúcar estará sempre presente na vida nacional. Sorte nossa.

 

 
  Newsletter
Cadastre-se e receba nossas
novidades em seu email.
Nome:
Email:


 
     
  Charutos Personalizados
Comemore o nascimento de seu filho, casamento ou uma conquista de sua empresa com charutos personalizados.



 
     
   Telefones:  (11) 5096-2494 / 5041-1596
  © Copyright Charutos e Bebidas. Todos os direitos reservados.
  Qualquer reprodução deste material deverá ser feita com autorização.